quarta-feira, 27 de março de 2019

Resenha - Nossas Noites

Livro: Nossas Noites / Our Souls at Night
Autor: Kent Haruf
Editora: Companhia das Letras
Páginas: 160 páginas
Nota:★★★★★
 

Sinopse: Em Holt, no Colorado, Addie Moore faz uma visita inesperada a seu vizinho, Louis Waters. Viúvos e septuagenários, os dois lidam diariamente com noites solitárias em suas grandes casas vazias. Addie propõe a Louis que ele passe a fazer companhia a ela ao cair da tarde para ter alguém com quem conversar antes de dormir. Embora surpreso com a iniciativa, Louis aceita o convite. Os vizinhos, no entanto, estranham a movimentação da rua, e não demoram a surgir boatos maldosos pela cidade. Aos poucos, os dois percebem que manter essa relação peculiar talvez não seja tão simples quanto parecia. Neste aclamado romance, Kent Haruf retrata com ternura e delicadeza o envelhecimento, as segundas chances e a emoção de redescobrir os pequenos prazeres da vida que pode surpreender e ganhar um novo sentido mesmo quando parece ser tarde demais.


Nesta história conhecemos Addie Moore uma viúva que se sente muito solitária e num ímpeto resolve propor a seu colega também viúvo Louis Waters, que eles durmam juntos, mas sem que aconteça nada, é apenas o companheirismo, ter alguém do seu lado. Afinal passamos mais de 30 anos ao lado de uma pessoa e quando a perdemos é bem difícil se acostumar com a solidão.

"Não, sexo não. Não é essa a minha ideia. Acho que perdi todo e qualquer impulso sexual já faz muito tempo. Estou falando de ter uma companhia para atravessar a noite, para esquentar a cama. De nós nos deitarmos na cama juntos e você ficar para passar a noite. As noites são a pior parte. Você não acha?"

O livro te encanta desde a primeira página, afinal saímos do obvio e do clichê um romance entre "pessoas maduras/idosas" pode parecer desinteressante num primeiro momento para quem vive em plena juventude e estamos cercados de histórias vazias e sem sentimentos, mas tenho a plena convicção que li poucas histórias de amor tão tocantes quanto essa. Acompanhar Addie e Louis é transbordar emoção e, por isso, Nossas Noites se torna um daqueles livros que acalenta o coração e faz você suspirar e ter um amigo companheiro assim quando a sua vez chegar.
 

É completamente hipnotizante acompanharmos a história desses dois e ver o sentimento se solidificar nos pequenos detalhes do dia a dia, em nossa rotina diária. Eu estou apaixonada pela forma como o autor Kent mostra o amor como ele sempre deveria ser: sem pressa, sem posses, sem interesses; somente o prazer de ter aquela pessoa ao seu lado.
 

Nossas noites é um relato delicado sobre a velhice e nos traz várias reflexões sobre a idade, solidão sobre o que é envelhecer e ter aquele pensamento que já que somos idosos não podemos mais aproveitar a vida, seja ela numa viagem ou um encontro romântico.
 

Eu acabei de descobrir que essa obra foi adaptada para o cinema, e o filme está na plataforma da Netflix, então fica a minha dica, espero que o filme seja tão bom quanto foi a leitura desse livro, que com certeza entrou para o meu hall de livros preferidos.

E você, tá lendo?

domingo, 24 de março de 2019

Minha vida literária



O tema de hoje é Curiosidades Literárias ...
Mas calma, não são curiosidades de escritores famosos, são as nossas mesmos ...

E me peguei pensando, poxa eu tenho algumas ... e sem perceber eu faço isso toda vez que eu vou ler ou estou lendo um livro. Então vem descobrir com a gente!

Curiosidades da Greice

Curiosidade 01
Eu separo por marcador a cada 50 páginas de um livro, sim eu faço isso. Mas por que você faz isso Greice?
Eu faço para ter uma meta diária, antes era 15 eu mudei para 30 e agora estou em 50 páginas, mas confesso que não ando conseguindo ler todos os dias 50 páginas ... (#vemférias).

Curiosidade 02
Eu gosto de separar post-it para marcar algumas citações ou fatos importantes. (a louca dos marcadorers neon)

Curiosidade 03
Eu separo a minha estante de livro em 3 prateleiras, sendo elas:
Prateleira 01 – livro favoritos!
Prateleira 02 – livros que já li e não sei se vou voltar a ler.
Prateleira 03 – livros que eu tenho e ainda não li #alistasócresce

Curiosidade 04
Eu amo ler as dedicatórias dos livros, é sério, eu fico imaginando como cada pessoa contribuiu para que o escritor(a) conseguisse atingir seus objetivos.

Curiosidade 05
Adoro spoilers, é sério, quando eu quero muito ler um livro e ainda não comecei eu caço feito uma louca para saber quem morre, quem é o vilão, quem é o mocinho ou a mocinha, e de verdade esses spoilers não me atrapalham em nada, eu adoro!

Curiosidade 06
Eu sempre fico imaginando quando eu termino uma história, como será que o autor(a) pensou como seria a vida dos personagens depois daquele livro. É como nos filmes, quando o mocinho e a mocinha se casam, e depois como eles ficam? Eles estão bem? Como é a vida de casados deles?

Curiosidade 07
Eu não consigo ler qualquer coisa se tiver uma tv ligada, fone de ouvido, muito barulho, eu fico no quarto só eu e o livro e os personagens. As vezes meu marido até briga, porque eu entro em Narnia e não escuto ele falando comigo ou perguntando algo.

Curiosidade 08
Eu não gosto de livros com capa de filme, perde toda a essência. Todos os livros que eu tenho e que viraram filmes são as capas originais, eu não tenho nenhum com a capa com os autores fazendo aquela posa de revista de fofoca. Odeio!

Curiosidades da Ale
Curiosidade 01
A Ale gosta de usar post-it também! (quem não ama?) #aloucadopostitneon2

Curiosidade 02
Adora escrever em livros, usa lápis e escreve futuros comentários para resenha (acho chique quem faz isso, confesso)

Curiosidade 03
Todo livro lido tem um desenho da Sophia! Ela que faz os marcadores dos livros da Ale (que lindo não é gente, Sofis faz um pra mim?)

Curiosidade 04
Jamais lê um livro fora da sequência (isso é verdade, uma vez estávamos num grupo de livro de romance de época e tínhamos que ser um livro da Julia Quinn, a Ale leu uns 3 livros que antecedia o livro que foi escolhido).

Curiosidade 05
Esse e aquele curiosidade, mas é quase um orgulho, e sério.
Os livros da Ale ficam organizados por editora (quando eu crescer, quero fazer igual tá, rs).

Curiosidade 06
A cada dez livros lidos, a Ale se dá ao direito de comprar outro ( hahahaha não funciona muito assim né Ale rs).

Curiosidade 07
A Ale faz coleção de marcadores, eu já vi, e é lindo.

Curiosidade 08
Também é do time que não consegue ouvir música enquanto . Começa a cantar e esquece do que leu (quem nunca rs).

Assustamos muitos vocês, com nossas curiosidades/manias literárias? Conta pra gente qual é a sua?





E você, tá lendo?



sexta-feira, 22 de março de 2019

Resenha - Para Sir. Phillip, com amor

Livro: Para Sir. Phillip, com amor - Livro 5 - Os Bridgertons
Autor: Julia Quinn
Editora: Arqueiro
Páginas: 276














Continuando com a nossa missão de terminar essa série, hoje vamos falar do livro 5, dos Bridgertons, Para Sir. Phillip, com amor e o meu amor já começou pelo titulo!!!
Quem aqui já se correspondeu por carta??? Eu sou dessa época!!! Como adorava e adoro escrever, mas, hoje já não recebo e também não envio mais cartas...

Narrado em terceira pessoa, vamos conhecer Eloise |(amo esse nome), uma menina, mulher, de bem com a vida, que para desespero de Violet (sua mãe) não esta pensando em se casar, gosta da vida leve e solta, adora escrever cartas e tem na sua amiga Penelope grande inspiração, afinal, Penelope também é solteira...
Até ai tudo bem, mas, o cupido acerta o coração de Penelope e ela casa-se com o irmão da sua melhor amiga, sim estamos falando de Collin Bridgertons e contamos tudo aqui...
Eloise começa a se preocupar e se questionar, será que vai ficar "solteirona"?
Do outro lado temos Phillip, um viuvo, com dois filhos, um pouco afoito para encontrar uma nova mãe para os "anjinhos".
Como sabemos, Eloise adora escrever cartas, e escreve uma carta para Phillip, dando os pêsames pela morte de sua esposa, um prima "bem distante"de Eloise. Daí nasce uma amizade e como naquele tempo não existia celular, (existe sim um lado bom) eles começam a trocar cartas...

Após a leitura de uma das cartas Eloise, resolve simplismente ir até o Sr. Phillip, sozinha e sem avisar ninguém, o que para a época era totalmente inaceitavel...
Imaginem a cara de Phillip quando Eloise aparece ali em pessoa e sozinha... Como também não havia "uber", Phillip foi "obrigado" a dar abrigo para Eloise...
A partir daí, Eloise irá perceber, que nem tudo que foi escrito nas cartas eram verdades...
Quais são os segredos que envolve Phillip???



 Fotos tiradas do Pinterest!!!

 E você Tá |Lendo?

domingo, 17 de março de 2019

Resenha - O Jardim de Inverno

Livro: Jardim de Inverno
Autor: Kristin Hannah
Editora: Novo Conceito
Páginas: 415


Sinopse: Meredith e Nina Whiston são tão diferentes quanto duas irmãs podem ser. Uma ficou em casa para cuidar dos filhos e da família. A outra seguiu seus sonhos e viajou o mundo para tornar-se uma fotojornalista famosa. No entanto, com a doença de seu amado pai, as irmãs encontram-se novamente, agora ao lado de sua fria mãe, Anya, que, mesmo nesta situação, não consegue oferecer qualquer conforto às filhas. 
A verdade é que Anya tem um motivo muito forte para ser assim distante: uma comovente história de amor que se estende por mais de 65 anos entre a gelada Leningrado da Segunda Guerra e o não menos frio Alasca. Para cumprir uma promessa ao pai em seu leito de morte, as irmãs Whiston deverão se esforçar e fazer com que a mãe lhes conte esta extraordinária história. 
Meredith e Nina vão, finalmente, conhecer o passado secreto de sua mãe e descobrir uma verdade tão terrível que abalará o alicerce de sua família... E mudará tudo o que elas pensam que são.
"Difícil não rir um tanto e chorar ainda mais com a história de mãe e filhas que se descobrem no último momento."


Que livro triste, mas, encantador!!! Vamos conhecer mais um pouco do que foi a 2ª Guerra Mundial!

A história se passa entre o ontem e o hoje!
É possível uma mãe não amar um filho? 
Vamos conhecer as irmãs Meredith e Nina, hoje adultas vivendo totalmente distantes... Nina uma fotografa de renome e Meredith, esposa e mãe é quem esta a frente dos negócios da família...
Mas nem sempre foi assim...Na infância estavam sempre juntas, sempre tentando atrair a atenção e receber o amor da mãe...O elo ali é o pai...Apaixonado pelas filhas e pela esposa, sempre tentando aproximar as filhas da mãe...
Anya é a mãe! Sempre fria e distante...Completamente apaixonada pelo marido...
A noite o pai sempre pede para Anya contar uma história para as filhas...É o momento em que todos estão juntos...É o único momento em que conseguem se aproximar da mãe...
O tempo passou...Cada uma seguiu um caminho...

 

Infelizmente quando o amor não consegue juntar as pessoas, a morte cumpre o seu papel...
A doença do pai resgata as irmãs... Ambas estão juntas novamente não pelo amor, mas, pela dor...Pela perda...
O pai que tanto amam, está partindo...E pede para Meredith cuidar da mãe e exige que Nina a faça contar a história que ouviam quando crianças até o fim...
A narrativa é feita na terceira pessoa!!! É impossível ficar alheio aos sentimentos e angustias dos personagens...
Como mãe, a postura de Anya me incomodou profundamente...O que me fez devorar o livro para conhecer os verdadeiros motivos de Anya...
"- Nós mulheres, fazemos escolhas por outros, não por nós mesmas, e quando somos mães, nós...suportamos o que for preciso..." Pág. 287
Resultado da leitura olhos inchados de tanto chorar...
Nos faz refletir e valorizar as pequenas coisas, que nos passam despercebidos...Sabe aquela rotina, acordar e tomar café, passei a valorizar ainda mais...

"...a vida e o amor podem acabar em um segundo. Quando você os tem, precisa se agarrar a eles com toda a força e saborear cada segundo." Pág. 401

 E você, Tá Lendo?

quarta-feira, 13 de março de 2019

Resenha - Paolo Livro #3 (Trilogia irmãos Bastilli)

Livro: Paolo #livro03 – trilogia Irmãos Bastilli
Autora: Barbara Biazioli
Editora: Independente
Páginas: 188 páginas
Nota: ★★★★★

Sinopse: DISCIPLINA. RESPONSABILIDADE. CONTROLE.
Essas sempre foram as palavras de ordem para Paolo Bastilli obter o tão sonhado SUCESSO.
O garoto pobre que assumiu a família aos 11 anos, hoje é dono de uma das empresas que mais emprega na cidade de Gênova, Itália. A Bastilli Barche é sinônimo de luxo, segurança e exclusividade. Com a mesma eficiência com que administra os negócios, ele cuida da família, tirando do caminho toda e qualquer pessoa que queira se aproveitar deles.
Tanta dedicação nos últimos 24 anos não deixou-lhe tempo para pensar em nada além do que negociar os milhões que adquiria a cada dia. Por isso, quando Catharina Martinelli apareceu à sua frente com seu olhar determinado, pela primeira vez em anos Paolo sentiu-se vulnerável.
Catharina estava destroçada.
Colocada tarde demais à frente nas negociações da empresa da família, ela nada mais poderia fazer a não ser tentar salvar a dignidade da família no processo de venda e o maior número possível de empregados da empresa criada por seu pai.
O homem com quem iria lidar não era nenhum amador, mas um empresário conhecido por ser implacável nas negociações.
Nos encontros que se seguiram, tensão e tesão se mesclaram à última instância. No entanto, Paolo sempre a mantinha numa distância segura. Ela sabia, então, que se quisesse conquistá-lo, não poderia ser através da couraça do grande empresário, mas pelo coração do pequeno engraxate.

E chegamos no último livro dessa trilogia fofa! E confesso, a que eu estava mais ansiosa para ler e entender o enigmático Paolo Bastilli.

Paolo, o irmão mais velho do trio, aquele tipo de irmão coruja que protege a todos e gosta de ter controle de tudo nos mínimos detalhes, até que surge Catharina, a filha do senhor Martinelli, e desde quando ela surgiu no primeiro livro em Sofia, eu desconfiei que ela podia ser a criptonita de Paolo Bastilli.

E assim foi, conhecemos mais a história de Catharina, que estava em um relacionado falido com o ex-noivo um ser escroto que só estava atrás do dinheiro dela. E confesso que me apeguei na história de Catharina, Barbara foi mestra no final do livro ao lembrar da história do primeiro livro onde Sofia e Paolo estavam em frente ao aquário com apenas duas moedas e não davam para comprar um ingresso se quer. Até que um homem veio e lhe deu dois ingressos e 20.00 para comprarem lanches no passeio. E esse homem é o senhor Martinelli, confesso que um nó na minha garganta veio pois gosto de acreditar que ainda há pessoas boas no meio de tanta tragédia acontecendo.

O final o livro é lindo, Paolo finalmente se entrega ao amor e Catharina foi feita perfeitamente para ele, não haveria outra pessoa que coubesse tão bem a ele quanto ela. Podemos ver também o filho de Sofia, Matheus um serzinho de 3 anos que rouba a cena nas poucas páginas em que aparece.



Ah, devo ressaltar também que Dom me surpreendeu ... como amadureceu de um livro para o outro, ou devo dizer em 2 anos? Acabou descobrindo um tino comercial para ninguém botar defeito, fiquei feliz em rever todos no epilogo.  E devo confessar que Dona Alma é aquele tipo de mulher que coloca a sua vida para proteger seus filhos. Afinal criar 3 pessoas como esses irmãos não podia ser diferente, essa é aquela família que todos se espelham pela cumplicidade e harmonia que todos possuem.



Então eu posso dizer que além da descoberta do amor verdadeiro que cada irmão vivenciou eu consigo ver muito além de um romance entre um homem e uma mulher, eu vejo uma família, eu vejo que o que aconteceu com a família Bastilli pode ter acontecido com a minha ou com sua, afinal nem todo mundo nasce em berço de ouro, temos que batalhar muito para conquistar nosso espaço, mas nunca esquecer da onde viemos, é a humildade e o amor que nos eleva nos pequenos detalhes e nos faz crescer como ser humano.

Ah, não posso esquece, a Dona Barbara nos presenteou ou nos atiçou ainda não sei, sobre sabermos um pouco mais sobre o enigmático, eficaz e um excelente profissional que o senhor Eugene Ward é ... já sabemos que ele te irmãos ... o que será que vem por aí ... ?


E você, tá lendo? 

sábado, 9 de março de 2019

TBR de março

Nossa primeira TBR do ano!!!
Janeiro foi mês de férias, fevereiro de preguiça, mas, estamos voltando com nossa "programação" normal....

Minions Muy Bien GIF - Minions Animo Aplausos GIFs 

Pelo menos essa é a nossa intenção!!! 

Então vamos falar dos Projetos!!! 
  • Projeto Calhamaço: Esse ano começamos a ler O Conde de Monte Cristo. Que livro maravilhoso!!! Começamos no dia 1 de janeiro, o livro tem ao todo 1301 páginas e estamos na página 909, acredito que vamos conversar ainda esse mês sobre esse livro incrivel.

  • Projeto Lendo Jorge Amado em Ordem Cronológica - gente confesso que o ano passado foi cansativo. Jorge Amado é maravilhoso, seus primeiros livros falam de luta por uma vida mais digna, fala sobre miséria, politica, mas, como as coisas não se resolveram ( e acho que não vão se resolver), Jorge martela esses assuntos nos seus livros, e muitas vezes, tive a impressão da história ser a mesma e mudar apenas personagens... Então dei uma pausa, mas, vamos continuar e o livro do mês - Terras do Sem Fim, não sei nada sobre esse livro e confesso que ainda não li pois, não encontrei nos sebos aqui perto e ele está com um preço salgado.
  •  Viajando pelo Brasil - vamos conhecer a Região Nordeste, já escolhi os autores e logo vamos fazer um post e contar tudinho...
 Acho que projetos são apenas esses! E lógicos temos as nossas leituras, digamos, avulsa.


E você Tá Lendo?







terça-feira, 5 de março de 2019

Resenha - As mil partes do meu coração

Livro: A mil partes do meu coração
Autora: Colleen Hoover
Editora: Galera Record 
Páginas: 336 páginas
Nota: ★★★

Sinopse: Autora best-seller do New York Times aborda relacionamentos e transtornos mentais em uma narrativa que discute os limites do que é normal. Para Merit Voss, a cerca branca ao redor da sua casa é a única coisa normal quando o assunto é sua família, peculiar e cheia de segredos. Eles moram em uma antiga igreja, batizada de Dólar Voss. A mãe, curada de um câncer, mora no porão, e o pai e o restante da família, no andar de cima. Isso inclui sua nova esposa, a ex-enfermeira da ex-mulher, o pequeno Moby, fruto desse relacionamento, o irmão mais velho, Utah, e a gêmea idêntica de Merit, Honor. E, como se a casa não tivesse cheia o bastante, ainda chegam o excêntrico Luck e o misterioso Sagan. Mas Merit sente que é o oposto de todos ali. Além de colecionar troféus que não ganhou, Merit também coleciona segredos que sua família insiste em manter. E começa a acreditar que não seria uma grande perda se um dia ela desaparecesse. Mas, antes disso, a garota decide que é hora de revelar todas as verdades e obrigá-los a enfim encarar o que aconteceu. Mas seu plano não sai como o esperado e ela deve decidir se pode dar uma segunda chance não apenas à sua família, mas também a si mesma. As mil partes do meu coração mostra que nunca é tarde para perdoar e que não existe família perfeita, por mais branca que seja a cerca.

Sempre quando falamos de Colleen Hoover criamos grandes expectativas e esperamos um livro que arrebate nosso coração, mas esse não foi o caso, desde que li November 9th, sinto que as histórias dela sempre segue a mesma linha de pensamento e isso realmente me cansa. Em As mil partes do meu coração, não temos um casal problemático como protagonista, mas sim um drama familiar.
Neste drama família conhecemos a família Voss, quando lemos parece que esse tipo de estrutura familiar nunca irá acontecer, mas acontece e sempre sabemos de alguém que convive em algo parecido.

Nesta trama conhecemos mais a fundo a história de Merit que é gêmea da Honor, e no começo do livro ela acaba sendo confundida com a irmã Honor e o namorado de Honor não sabendo que Honor tem uma irmã gêmea acaba beijando-a sem saber que está beijando a irmã errada, depois que todo o equívoco foi explicado fica meio difícil tentar ser amigo de seu cunhado, então a trama inteira se passa entre um tentando evitar o outro e o motivo de como aquela família pode ser denominada de caos. Ou seja, sem nenhum estrutura familiar.

A mensagem no final do livro é bacana de fato, mas acredito que tenha faltado aquele tempero na trama, retratou a depressão, mas eu achei de forma bem básica, poderia ter ido mais a fundo e explorado melhor os personagens que cercavam a Merit. Recomendo a leitura desse livro, não espere romance fofinhos de um piloto de avião cheio de trauma, ou um musicista apaixonado pela pessoa errada, ou tragédias com incêndios ... espere apenas um drama bem familiar que pode acontecer com você ou com alguém bem próximo de você. 

E você, tá lendo?