sexta-feira, 8 de dezembro de 2017

Dançando sobre cacos de vidros

[Resenha] Dançando sobre cacos de vidros - Ka Hancock


Título: Dançando sobre cacos de vidro
Título Original: Dancing on broken glass
Autora: Ka Hancock
Editora: Arqueiro
Páginas: 336

Ano de Lançamento: 2013

SinopseLucy Houston e Mickey Chandler não deveriam se apaixonar. Os dois sofrem de doenças genéticas: Lucy tem um histórico familiar de câncer de mama muito agressivo e Mickey, um grave transtorno bipolar. No entanto, quando seus caminhos se cruzam, é impossível negar a atração entre eles.
Contrariando toda a lógica que indicava que sua história não teria futuro, eles se casam e firmam – por escrito – um compromisso para fazer o relacionamento dar certo. Mickey promete tomar os remédios. Lucy promete não culpá-lo pelas coisas que ele não pode controlar. Mickey será sempre honesto. Lucy será paciente.
Como em qualquer relação, eles têm dias bons e dias ruins – alguns terríveis. Depois que Lucy quase perde uma batalha contra o câncer, eles criam mais uma regra: nunca terão filhos, para não passar adiante sua herança genética.
Porém, em seu 11° aniversário de casamento, durante uma consulta de rotina, Lucy é surpreendida com uma notícia extraordinária, quase um milagre, que vai mudar tudo o que ela e Mickey haviam planejado. De uma hora para outra todas as regras são jogadas pela janela e eles terão que redescobrir o verdadeiro significado do amor.

Primeiramente este livro já se torna altamente especial por ter sido comprado em conjunto com Ale, em uma de nossas aventuras pela livraria Cultura do Conjunto Nacional, um dia estávamos voltando de um evento (literário por sinal) e resolvemos ir até a cultura e lá estava o livro, em promoção, uma olhou para a outra e disse, vamos levar.
Mas antes de continuar eu preciso dar um aviso, pegue um lencinho e não tenha vergonha de se emocionar com a resenha a seguir.



Dançando sobre cacos de vidros, tem uma estória que me surpreendeu do começo ao fim, ele segue contando a trajetória de Lucy e seu casamento um tanto quanto conturbado com Mike.

Tudo isso por que Mike possui um transtorno mental (bipolaridade e transtorno obsessivo compulsivo) que faz com que ele passe por diversas internações para controlar e ater sua sanidade.

Mesmo com todos os problemas do casamento comum e a complexidade de sua doença Mike e Lucy vivem em um casamento com um amor imenso e são o suporte um para o outro. Já que Lucy possui um histórico familiar de câncer e ela mesma quase foi vencida pela doença anos atrás. Então os dois depois de muita conversa decidem que nunca terão filhos, pois pensam que possuem genes defeituosos com doenças que poderiam afetar seus filhos posteriormente. E mesmo assim um milagre acontece e tudo muda na vida deles de uma hora para outra.

“– Lucy, todo casamento é uma dança: complicada às vezes, maravilhosa em outras. Na maior parte do tempo não acontece nada de extraordinário. Com Mickey, porém, haverá momentos em que vocês dançarão sobre cacos de vidro. Haverá sofrimento. Nesse caso, ou você fugirá ou aguentará firme até o pior passar.”





Então Lucy descobre que está grávida, e com isso ela precisa lidar com toda a pressão de como contar para Mike que sua promessa foi quebrada, e que eles vão ter um bebê. E começa toda a preparação com a chegada do bebê, começam a pensar na cor do quarto, no tipo de móveis e todos os detalhes que um casal começa a fazer com a chegada de mais uma pessoa a família, mas Mike começa a entrar em pânico, com a ideia de ter um filho e se sentir incapaz de criar uma família.  Com esse pânico, Mike acaba tendo um surto psicótico que o leva a ficar um bom tempo na ala psiquiátrica do hospital, e Lucy precisa seguir com a sua rotina de pré-natal entre outras coisas.

Em um dia de consulta, a Dr. Barbie sente algo estranho no peito de Lucy, mas acredita que seja todas as metamorfoses que o corpo da mulher sofre quando gera um bebê, mas pede que vá ver um amigo especialista em oncologista em uma cidade vizinha. Bom já sabemos o que devemos esperar depois dessa consulta ... Sim, ela está com câncer de mama e precisa tomar a decisão mais difícil da vida, ter esse bebê, deixando o câncer ganhar proporções avassaladoras, porque não é possível fazer um tratamento sem que afete o bebê, ou tira-lo.

Lucy é por diversas vezes muito incompreendida em relação às decisões que ela toma ao decorrer da história, e eu tento de todo modo me colocar no lugar dela e descobrir que se de fato estivesse lá, faria o mesmo. Ela é uma personagem forte, que carrega não só as suas cruzes, mas as de toda a sua família, ela é o alicerce que segura a todos.



"Era como se eu soubesse o segredo da morte. Eu tinha a resposta, a chave para suportar o que é preciso quando alguém que amamos morre. E agora acho que acredito, porque não consigo ver o significado da vida de outro jeito." "Dizem que o primeiro ano após uma perda importante é o pior. Nada mais óbvio. As perdas são um tipo específico de insanidade, e não há como amenizá-las. Não existem atalhos e o luto só é superado se for vivenciado."

Lucy tem mais duas irmãs, Priscilla e Lily, as três sofrem a perda dos pais quando ainda eram jovens, a dor transformou Pris em uma mulher tremendamente dura e viciada em trabalho, mas aproxima muito as outras duas irmãs. O livro não se baseia apenas no amor entre homem e mulher, ele te faz refletir sobre o valor de sua própria vida e apresenta o lindo amor fraternal entre Lucy e Lily.

"A gente compensa as perdas como pode, não importa quando elas ocorram."



E você, tá lendo ?

Um comentário:

  1. Ahhh, que lindo!!
    Eu AMEI este livro, também favoritei.
    Que post mais bacana, parabéns, meninas
    Bjks mil

    ResponderExcluir