quarta-feira, 9 de maio de 2018

Resenha - Conquista #2


Livro: Conquista  #2 (Trilogia Devoção)
Autora: J C Reed
Editora: Única
Páginas: 288 páginas
Nota: ★★★

Sinopse: O segundo livro da trilogia Devoção best-seller do The New York Times, Wall Street Journal e USA Today. Encontrar Jett foi um verdadeiro azar. Perigoso, imprevisível. Um cara que era melhor evitar. Nesse jogo, porém, as apostas são altas. Vale a pena correr o risco? A continuação da história de Brooke e Jett mergulha de vez nas armadilhas do amor e da sensualidade. Brooke Stweart sempre achou que esquecer é algo muito difícil. Entretanto, perdoar é impossível. Quando o homem em que ela confiava a traiu, a única opção que ela tinha era seguir em frente. Brooke está determinada a começar uma nova vida, até que encontra Jett novamente: aqueles olhos verdes, sexy como o pecado. O homem que ela desejava. O homem que jogava sujo. O homem que a enganou. Lindo e arrogante, Jett Mayfield sabe que cometeu erros. Ele poderia ter qualquer outra mulher que desejasse, mas era Brooke que ele queria. Quando uma segunda chance colide com os segredos da alma e Brooke precisa confrontar seu passado, ele se vê determinado a protegê-la. Ela aceita sua ajuda não só porque precisa dele, mas também porque não resiste a seus encantos. Desta vez, porém, o jogo será do jeito que ela quiser.

Comecei o segundo livro com aquele sentimento, ai meu Deus, será que vai ser mais um clichêzão, mas até que eu gostei um pouquinho mais do segundo do que do primeiro, no qual já tem resenha aqui no nosso blog.

No final do primeiro livro, Brooke descobriu que Jett aproximou-se dela com segundas intenções e que todo o relacionamento deles foi baseado em uma mentira. Isso foi tenso, eu não daria chance para a pessoa depois dessa.



Então, magoada e traída, ela parte com Sylvie (sua amida) para Bellagio, Itália (aí até eu ia ficar feliz da vida né amores kkk), a fim de descobrir mais detalhes sobre sua herança surpresa. Elas são acompanhadas por Jake Clarkson, advogado de Alessandro Lucazzone, personagem que tinha sido apresentado no primeiro livro, mas eu confesso não dei muita importância para ele... Até que as aparencias enganam, pois aparentemente, Alessandro é um homem idoso e 'quase' inofensivo, mas, segundo Jett, ele esconde um grande segredo que poderá colocar Brooke em perigo.

A única coisa que me incomoda nesses livros é o eterno dilema da mocinha (Brooke) se deve ou não escutar Jett e dar uma nova chance pra esse amor e tenho que dizer, confesso que meu dilema entre dormir e comer é bem mais forte e duradouro do que o da Brooke kkkkk. Ela prega todo um discurso de que é forte, de que vai resistir e não quer mais saber do todo poderoso gostosão e não passa um minuto e lá está ela imaginando os dois na cama, sentindo arrepios, dores, desejos e blá blá blá. Força de vontade zero. Foco, força e fé né Brooke ... aff . Sabe a síndrome da etera Elena Gilbert do Vampires Diares (I can't, I can't ...)



 Jett finalmente tenta consertar seu erro, e, descobrindo o paradeiro de Brooke na Itália, apenas salientando, e vai ao seu encontro a fim de protegê-la e tentar reconquistar sua confiança. E é claro que ele fica com a Brooke depois de prometer o mundo e nunca mais mentir ou traí-la e todo aquele bla-bla-bla que já conhecemos.

"Confira os fatos e você verá que, sim, eu cometi um erro, mas estou dizendo a verdade quando afirmo que só queria protegê - lá"

Eu queria muito que a autora tivesse dado mais atenção a questão da perseguição, dos mistérios que envolvem a mansão Lucazzone, seu dono, o pai de Jett e o tal misterioso clube, queria (mas ficou no passado L), mas esse é apenas um pano de fundo, alguma coisa introduzida na história só pra ela não ficar 100% voltada ao casal e ao sexo. Uma pena. Aff de novo ... kkk. A esperança é que o último livro da trilogia feche todos esses fios soltos.


E agora vamos ao último livro da trilogia.


E você, tá lendo? 

Nenhum comentário:

Postar um comentário