terça-feira, 20 de abril de 2021

Conhecendo um Blog - BEDA # 20

 Convido vocês a pegarem uma xícara de café ou uma taça de vinho e acompanhar esse bate-papo!!!

Hoje nossa conversa é com a Lunna do Blog Catarina voltou a escrever mais uma pessoa incrível que esse mundo literário me apresentou....
Visitando o blog da Claudia, encontrei uma blogagem coletiva do grupo  Interative-se, grupo fechado no facebook.. O grupo me chamou atenção pois, ali todos tinham blogs e confesso que a grande maioria das pessoas que conhecia como "blogueiras"  migraram para outras redes, a maioria, foi para o Instagram, resolvi ficar lá e ver o que acontecia...E assim conheci a Lunna...A pandemia adiou o  nosso café, então, vamos conversando por aqui...

Quem é a Lunna?

Boa pergunta... mas, é um tanto estranho dizer-se. Eu tenho dificuldade em redigir a minha biografia. Os últimos anos eu me acostumei a me definir como sagitariana e degustadora de cafés. Mas, é pouco para o que vejo no espelho. Também sou artesã de livros e gosto da pessoa que se senta num canto e une cadernos impressos com agulha e papel depois de planeja-los e vê-los acabados. Não digo prontos porque não gosto da premissa. Não acredito em coisas prontas.

Enquanto pessoa que escreve, eu sou uma figura múltipla que se metamorfoseia em outras tantas e nenhuma.

Autora, escritora, editora!!! Como você se descreveria?

Depende do dia, do momento e do ano... quando me sento para escrever (como nesse abril) eu sou a pessoa que escreve, inventa narrativas, mundos e pessoas. E, quando me sento para avaliar escritos alheios, sou a Editora. Ambas dependem da leitora que eu sou, uma figura chata e exigente...

Como nasceu a ideia de criar um blog?

Foi coisa de um amigo-parceiro que acreditou que seria uma boa ideia a ferramenta e me indicou. Isso foi lá em meados de 2002. O primeiro blogue-post veio meses depois. Mas a Catarina surgiu sem planejamento, sem nada. Foi o último blogue (eu já tive muitos) e desisti da maioria deles porque são como personagens de um livro que chega ao fim. Catarina, no entanto, segue sendo escrita...

Sempre que vou até o seu blog me pergunto quem é Catarina???

É mais uma personagem minha... eu sempre me inspiro em pessoas para as minhas narrativas e Catarina é uma metade minha, como todos os personagens com os quais trabalho. É impossível para mim, moldar um personagem e não deixar qualquer coisa minha nele. Todos os meus personagens tem muito de mim.

O nome Catarina veio de uma colega de faculdade... uma pessoa estranha, quieta, mundana, arisca por quem me apaixonei. Convivemos por pouco tempo. Ela foi recolhida do mundo para ser tratada e nunca mais escreveu notas suicidas. Consideraram-na curada...

Como você costuma organizar suas ideias, em relação ao seu processo de escrita...? De onde vêm as inspirações para escrever?

Eu escrevo todos os dias... tomo notas mentais (algumas mentais) de coisas que me incomodam. Escrevo missivas para os personagens, autores favoritos (a maioria estão mortos) para amigos. Eu sou da época da correspondência e minha escrita passa por folhas soltas e envelopes. Sou movida a emoções (todos somos) mas, eu dependo de ser perturbada, incomodada... ser movida para fora da minha zona de conforto para escrever.

Não acredito em inspiração, aliás, é que eu sempre digo nas aulas de escrita: não espere estar inspirado para escrever. Isso é uma ilusão. Escrita é trabalho diário, constante. Precisamos nos acostumar a escrever, nos disciplinar enquanto pessoas que escrevem e desenvolver a rotina da escrita.

Não existe escrita sem esforço, dedicação, muito trabalho e, no meu caso, muitas xícaras de café e uma janela aberta para a realidade urbana, minha tela particular de Hopper.

Quais são os prós e contras de ser uma blogueira literária? Por quê?

Eu já não me considero uma blogueira faz algum tempo. Nem sei se me considerei um dia. Sou uma pessoa, autora, editora, artesã de livros que tem um blogue e que escreve nele um pouco das coisas que vê, experimenta. No começo, eu achava que conversava comigo e mais ninguém. Mas, começaram a comentar os meus textos e aquilo foi um grande susto. Conheci pessoas incríveis, fiz amigos, arrumei confusão. Já fiz de tudo nesse cenário nesse universo onde é sempre passado, nunca futuro. De todas as ferramentas da internet, é sem dúvida a que mais me agrada e a única com a qual não rompi.

Qual seu  gênero literário favorito? E autor?

Eu amo poesias e romances... e contos, e crônicas, ops... seria mais simples dizer que eu Amo livros. Tenho paixão por T.S.Eliot e seus poemas certeiros e definitivos. Fui seduzida ainda menina pela narrativa de Jane Austen... a maneira como trabalhou suas personagens femininas me surpreendeu. E, tem Patti Smith que me convidou para o seu café, em Nova Iorque para contar suas vivências ao lado do amigo-amante Robert Mapplethorpe, em Linha M... e Susan Sontag que é agressiva em suas opiniões e me convidam a repensar o mundo.


Fica o meu convite para vocês visitarem o blog e conhecerem mais um pouco dessa autora, escritora, editora...


Este post faz parte do BEDA e participam também:

Mãe Literatura;
Catarina voltou a escrever;
Mariana Gouveia;
Roseli Pedroso;
Amor pelas Páginas;
Devaneios e Poesias;
Obdulio Nuñes Ortega


4 comentários:

  1. Esta autora é FATÁSTICA. (Já sei que sou suspeito)

    ResponderExcluir
  2. Eu concordo com o senhor Marco Antônio... Essa autora é fantástica e eu também sou suspeita - ela diz sempre isso pra mim.
    Além de que é uma editora maravilhosa! E também sou suspeita por isso��

    ResponderExcluir
  3. E foi nesse universo que começamos e nos conhecemos. Somente depois é que veio nosso encontro presencial e a amizade e respeito perdura até hoje. Adorei essa entrevista com Lunna!

    ResponderExcluir
  4. Essa autora é fantástica! Mas sou suspeitíssimo! O termo "fantástico" aqui, cabe em todas as suas definições...

    ResponderExcluir